Blog Página 692

“CPI pode fechar Orkut caso o Google não colabore” diz Senador

11

Segundo informações da Folha Online, executivos do Google Brasil devem depor na manhã desta quarta-feira à CPI da Pedofilia, instalada no Senado no mês passado.

Caso a empresa venha a “não colaborar com as informações requisitadas”, o presidente da CPI, Magno Malta, afirmou que existe a possibilidade do “Orkut ser bloqueado em todo o país”.  Entre os advogados que defenderão o Google, dono da rede social, está o ex-ministro da Justiça Márcio Thomaz Bastos.

Entre os executivos do Google Brasil que irão depor estão Alexandre Hohagen, diretor-presidente, e Felix Ximenes, diretor de comunicação.

Jaiku anuncia migração para Google App Engine

5

Jaiku, serviço de microblogging adquirido em 2007 pelo Google, anunciou hoje que está sendo migrado para a plataforma do Google App Engine – na qual permite que desenvolvedores possam hospedar suas aplicações Web usando a infra-estrutura do Google.

“Jaiku será totalmente implementado ao Google App Engine em breve. Estamos trabalhando arduamente para garantir que a migração seja um sucesso, faremos um anuncio assim que tudo estiver concluído” informou a equipe do Jaiku.

Jaiku será uma das primeira aplicações a rodar no novo serviço do Google.

Salesforce se integrará fortemente ao Google Apps. Seria uma aquisição?

0

Salesforce logoGoogle Apps logoNo último sábado, falávamos que havia rumores de que a empresa de CRM on-line Salesforce estaria sendo comprada pela Oracle ou SAP. Ontem, houve uma notícia de que os presidentes da Salesforce e da SAP tiveram uma discussão pública acalorada em um evento nos EUA, o que parece afastar um acordo entre elas. Ficaria, portanto, a Oracle no páreo. No artigo de sábado, não descartamos a possibilidade de a Google comprar a Salesforce.

Ontem, o TechCrunch adiantou que na próxima segunda-feira, dia 14/04/2008, a Salesforce anunciará uma integração profunda com o Google Apps, em uma estratégia que, ao mesmo tempo, é vantajosa para ambas as empresas porque alavanca as vendas de produtos Google e Salesforce.

Quem faz uma integração assim, estaria interessada em fazer acordo com a Oracle, considerando-se, inclusive, que a Google acaba de lançar seu banco de dados on-line e o principal produto Oracle é justamente banco de dados? A mim mais parece um movimento em direção à Google. Se haverá aquisição, é difícil saber, porque seria muito valiosa (entre USD$ 7 bilhões e USD$ 10 bilhões). Logo, eu diria que seria possível e as negociações podem estar acontecendo, em função do assédio que a Salesforce está sofrendo dos concorrentes off-line. Entretanto, dentro da estratégia de crescer em aplicativos on-line, seria uma compra excelente para a gigante de Mountain View, porque lhe daria tecnologia, clientela e musculatura nesta área, além de aumentar a concorrência com a Microsoft, que tem o Dynamics CRM.

Vamos aguardar os próximos lances.

Google Apps Engine é lançado!

4

O Google acaba de lançar sua plataforma Google Apps Engine para que desenvolvedores possam hospedar suas aplicações Web usando a infra-estrutura do Google, sem precisar se preocupar com compra de novas máquinas, excesso de tráfego e uso de CPU.

Por enquanto, apenas a versão gratuita será disponibilizada. Cada aplicação hospedada no novo serviço terá até 500MB de armazenamento e tráfego mensal suficiente para 5 milhões de pageviews. No futuro o desenvolvedor poderá adquirir mais recursos de acordo com sua necessidade.

Como antecipamos aqui, o serviço proverá acesso ao banco de dado BigTable no qual o desenvolvedor poderá guardar informações relativas a sua aplicação. Além disso, também permitirá fácil comunicação com outros serviços Google através de APIs.

Embora apenas 10 mil desenvolvedores poderão testar o serviço, trata-se de um lançamento prévio e este número deve aumentar em breve.

Uma das características que já está gerando debates é o uso exclusivo da linguagem Python para o desenvolvimento de scripts aptos a serem executados no Google Apps Engine. Entretanto, o Google admite a possibilidade de suporte a outras linguagens no futuro.

As comparações com os serviços do Amazon Web Services são inevitáveis. Apesar da Amazon já ter um serviço com arquitetura mais flexível e consolidada, a nova platarforma do Google pode conquistar desenvolvedores com seu carisma, gratuidade e outras funcionalidades.

Saiba mais:

Blog do Google Apps Engine
Blog oficial do Google

Yahoo! cria novo sistema de anúncios

1

O Yahoo! anunciou hoje o AMP!, uma nova plataforma de anúncios online que pretende impulsionar o mercado publicitário. Esta é uma tentativa de convencer os acionistas de que o investimento no AMP! é melhor que vender o portal para a Microsoft.

A nova plataforma tem a proposta de facilitar aos anunciantes a distribuição dos anúncios por grupos demográficos específicos por meio das classificações no site do Yahoo!. O sistema ainda não está disponível, mas já foi divulgado um vídeo demonstrativo do produto.

Fonte: Folha Online

Google comemora aniversário do Astro Boy

2

O Google Japão está comemorando hoje o aniversário do Astro Boy, mangá que foi a primeira série animada exibida no Japão, com um logotipo especial em sua home page.

Tetsuwan Atom (Poderoso Átomo, 鉄腕アトム) ou Astro Boy é o título de um mangá e animê de Osamu Tezuka e também o nome de seu principal personagem. A série original em mangá foi produzida de abril de 1952 à março de 1968, ganhando diversas adaptações para a televisão em anime. Wikipédia.

O iGoogle também ganhou um tema especial em homenagem à seu aniversário.

Fonte: Googlified

Yahoo! responde a carta da Microsoft

3

Microhoo! logoDois dias depois de Steve Ballmer ter dado um ultimato à Yahoo!, Jerry Yong respondeu à carta da Microsoft, dizendo que ainda estão dispostos a discutir a proposta de aquisição, em um sinal claro de que o acordo está mesmo sendo discutido entre as empresas.

Entretanto, analistas do mercado financeiro dizem que não se pode dizer que o acordo realmente sairá ou se será feito com a Microsoft. É sabido que eles estiveram discutindo também com a News Corp. (My Space), mas não chegaram a bom termo. Sabe-se também que eles ainda estão negociando com AOL/Time Warner e que, se não é o caminho mais provável, não é também um caminho impossível.

Considere-se que uma compra da Yahoo! pela Microsoft seria certamente objeto de processos antitruste, com possibilidades reais de procedência pelo menos parcial (com relação a grande parte dos produtos coligados). No caso de uma união entre Yahoo! e AOL/Time Warner, estas possibilidades são mínimas e, certamente, estão pesando na decisão de Jerry Yong e David Fillo.

Até o dia 15/04/2008, quando a Yahoo! deverá apresentar seus resultados para o primeiro trimestre de 2008, espera-se um desfecho para o impasse.

Fonte: CNN Money com Dow Jones

I Google For You: um buscador Denorex

3

I Google For You logoVocê conhece o novo buscador I Google For You? Eu o conheci hoje. Ele, à primeira vista, parece ser um novo produto Google, porque a página é idêntica. É bem verdade que eles colocam um aviso minúsculo no rodapé da página, no qual há a afirmação contrária. Ao abrirmos o tutorial, temos a certeza de estarmos em um produto Google, porque a apresentação é a mesma. Apesar disso, dizem ser uma start-up destinada a fazer as buscas de Internet mais direcionadas e com resultados mais relevantes que as dos buscadores atuais. Fiz um teste e não consegui resultados.

O que eu achei mais curioso é que somente depois de ler o tutorial é que descobri que não se tratava de um serviço Google, tal a semelhança das páginas.

Aliás, chamar isso de semelhança é eufemismo. Em verdade, isto mais parece apropriação de marca, que é ilegal no Brasil e provavelmente também nos EUA.

Em outras palavras, o I Google For You parece Google, tem cara de Google e tenta se passar por Google, mas não é Google. O próprio buscador Denorex, aquele que parece, mas não é.

Obs: o site está registrado em nome de uma empresa chamada GoDaddy.com.

Fonte: John Battelle’s Searchblog

Depois de dois meses, Steve Ballmer dá ultimato à Yahoo!

3

Microhoo! logoEm 1º de fevereiro, a Microsoft agitou a Internet ao oferecer USD$ 44,6 Bilhões pela Yahoo. Quase todos os analistas de Wall Street falaram que a negociação seria breve. Não foi.

Hoje, 5 de abril, Steve Ballmer mandou uma carta para o Conselho de Administração da Yahoo!, dando três semanas para eles se decidirem e prometendo que, se o acordo não for fechado neste período, o ataque será feito diretamente aos acionistas.

Michael Arrington garante que a compra sai até o dia 15 de abril, data em que a Yahoo! apresentará os seus resultados do trimestre, que deverão ser fracos, segundo ele. Apesar de a Microsoft ter dito que não dá nem mais um tostão, além do que já oferecido, o jornalista citado disse que a oferta poderá subir mais 1 ou 2 dólares por ação.

Que fique claro: se o acordo sair, isto somente será o início da partida, porque teríamos ainda uma longa batalha nos órgãos reguladores de todo o mundo (Brasil inclusive) e, depois, se aprovada a aquisição, um longo processo de integração de plataformas.

Fontes:
Techcrunch
Reuters
Bloomberg
Forbes

O Google Apps está completo?

4

Google Apps logoJá fazem alguns meses que penso em escrever sobre o tema. No entanto, o tenho adiado, em virtude da necessidade de publicar notícias e também da simples falta de tempo. Hoje, um fato tornou isso inadiável: a notícia de que a Google finalmente lançará seu banco de dados on-line.

Esta é uma notícia muito importante, porque, se confirmada, colocará a Google na competição pelo competitivo mercado de bancos de dados, hoje dominado por Oracle, IBM e Microsoft, mas com uma grande diferença: estas empresas fornecem produtos residentes no CPD do cliente, enquanto que o BigTable parece que será um produto totalmente residente na Web (talvez com alguma versão em formato tradicional). Não me espanto com esta informação, porque a Google é grande produtora de bancos de dados, que são usados em suas próprias aplicações. Em verdade, eu acreditava que este seria um dos próximos produtos do Google Apps, mas confesso que acreditava que eles começariam fornecendo um produto pequeno e de fácil operação, para competir com o Microsoft Access e com o Oracle Database Lite, no mundo off-line, e com o Zoho DB & Imports, no mundo Web. Parece, entretanto, que será um produto apto a processar grandes massas de dados, para usuários domésticos, mas também para pequemas, médias e grandes corporações.

Mas o Google Apps não se resume a um banco de dados, que ainda não tem. Ele já possui Gmail, Google Talk, Google Calendar, Google Docs, Google Sites, Page Criator, Página Inicial, Painel de Controle, API’s e serviços de segurança Postini.

Mas isto não quer dizer que ele esteja pronto. Muito pelo contrário. O futuro BigTable seria apenas mais um passo nesta estratégia de levar as pessoas e organizações a manterem seus dados e documentos na grande nuvem da Web. E este parece ser um objetivo que a Google persegue desde o momento que lançou o GMail.

Se desejar continuar neste caminho, terá que lançar também o tão esperado GDrive. Mas não poderá parar por aí. Para se ter uma idéia, apenas para concorrer com a Zoho, que tem soluções para empresas na Web, terá que desenvolver gerenciador de projetos, sistema de relacionamento com clientes (CRM), sistema de faturamento, gerenciamento de reuniões com videoconferência e controle de recursos humanos. Em outras palavras, teria que desenvolver todo um sistema de ERP e CRM.

Acontece que a Zoho nem é a lider deste segmento no mercado on-line, que é dominado pela Salesforce, empresa, entretanto, focada em CRM. Nem se fale na competição com Microsoft, Oracle e SAP.

Se você pensa, entretanto, que a Google poderá ficar por aí. Eu penso que não. Acredito que em sua estratégia de longo prazo, se realmente contemplar a prestação de serviços de migração de todos os negócios para a Web, terá que competir diretamente com Microsoft, Oracle, SAP e Salesforce. Talvez até comprando Oracle ou SAP e também a Salesforce (que já esteve na mira da Google e agora parece ser alvo das demais). Afinal, se esta é mesmo a estratégia, terá a Google que investir pesadamente em Data Warehousing, Data Mining, Business Inteligence, ECM/GED e Supply Chain Management, além, é claro, de gerar especialização para cada setor da economia. Trata-se de um mercado milionário e que dificilmente ela ficaria de fora. No entanto, não se trata de algo, no qual ela poderia entrar agora. Caso venha a competir, deverá fazê-lo em alguns anos e dificilmente escaparia de um processo de grandes fusões e aquisições.

Para se ter idéia da importância deste mercado, apresento-lhes um único dado: a maior parte dos contribuintes dos EUA faz sua declaração do imposto de renda por meio de contadores situados na Índia. Os documentos são enviados digitalmente por meio de um sistema de ECM/GED. Esta é apenas a ponta de um iceberg, que tende a crescer exponencialmente nos próximos anos.

O que não está dito na notícia do lançamento do próximo lançamento do BigTable é que poderão, quem sabe, estar embutido neste aplicativo algumas funções de Data Warehousing e Business Inteligence. Será? Não sei. Mas não me parece impossível, visto que a empresa tem, certamente, alguma experiência interna nestes conhecimentos.

É importante que acompanhemos a trajetória da Google nos próximos anos, para vermos se a estratégia realmente entrará por este caminho. No entanto, uma coisa nos parece certa: o Google Apps está longe de ficar completo.

Destaques

Google trabalha em modo de realidade virtual para o Chrome

Seguindo a tendência das empresas de tecnologia em explorar a realidade virtual, o Google também tem demonstrado muito interesse em trazer a plataforma para...

Social

29,050FãsCurtir
32,780SeguidoresSeguir
35,030SeguidoresSeguir