ÚLTIMOS ARTIGOS

Live Blogging direto do Googleplex São Paulo [atualizado]

Por em 8 de julho de 2008 – 9:30

Como já havíamos publicado neste último final de semana, o Google Discovery foi convidado pelo Google Brasil para participar do lançamento oficial do Orkut OpenSocial, evento que irá ocorrer daqui a pouco no Googleplex São Paulo  às 10h da manha.

OpenSocial, um consórcio formado pelo Google, MySpace, Yahoo! e AOL, permite aos desenvolvedores a criação de aplicações sociais que utilizam um conjunto comum de APIs que funcionam em qualquer das redes sociais participantes.

Você pode acompanhar todas as informações através do Discovery Prologue – nossa plataforma de Micro Blogging, e também pelo meu perfil no Jaiku e Twitter.

Atualização 12h40: Obrigado à todos que acompanharam. Esperamos poder sempre oferecer esta possibilidade de estar junto conosco nos eventos onde o Google Discovery está presente. :)

Comentários (1) Categorias: Google

Segurança: Gmail ganha nova camada de informação e controle

Por em 7 de julho de 2008 – 19:03

Google anunciou hoje que está adicionando uma nova funcionalidade de segurança que fornecerá aos usuários uma camada de informação e controle sobre seus recentes acessos ao Gmail e a possibilidade fechar o webmail remotamente.

Segundo a empresa, como de forma elevar a segurança o Gmail, o serviço passará a exibir no rodapé uma informação relacionada ao período de tempo que a conta ficou ativa em sua última sessão, ou mesmo, se ainda está aberta em outro computador.

Utilizando o exemplo acima(fornecido pelo Google), agora é possível visualizar o IP da outra localização onde a conta está aberta. Caso tenha conhecimento do IP exibido, você pode mantê-lo aberto sem qualquer tipo de restrição. Em caso negativo, o Google fornece uma ferramenta de controle que permite encerrar o funcionamento com apenas um clique.

Para isso, o usuário deverá acessar o painel de atividades através do link “detalhes/details”, ao lado dos últimos períodos de atividade da conta. Ao clicar, abrirá a tela abaixo:

Na tela de últimas atividades da conta, os usuários do Gmail poderão verificar o tipo de acesso e IP onde o Gmail está aberto, além de um histórico detalhado dos útimos tipos de acesso a sua conta. Para desativar alguma atividade remota “suspeita”, o Gmail oferece um botão “sign out all other sessions/desligar de todas as sessões” que desativa de forma dinâmica o Gmail aonde estiver.

Com isso, o Google fornece ferramentas para que seus usuários possam acompanhar e verificar suas contas, desde fraudes a invasões de privacidade. Não importa qual seja a sua funcionalidade preferida do Gmail, essa com certeza merece uma atenção especial sempre.

Comentários (9) Categorias: Google

AOL: a única saída para o Yahoo!

Por em 7 de julho de 2008 – 14:15

Segundo informações da Valleywag, Jerry Yang – CEO do Yahoo!, passou o feriadão do 4 de Julho com conselheiros da empresa Goldman Sachs, para a elaboração de um plano a ser a apresentado na reunião anual da companhia no dia 01 de agosto.

Com o objetivo de criar uma alternativa viável contra os planos da Microsoft, Yang estaria aquecendo novamente as negociações sobre uma possível fusão com a AOL, em um negócio que poderia valer US$10 bilhões (ou  £5 bilhões de euros).

Mas uma fusão AOL-Yahoo poderia não ser muito bem vista pelos Yahoos(como são conhecidos os funcionários do Yahoo), por classificarem a AOL como uma “relíquia da década de 1990″. Outro problema seria a possibilidade da Microsoft comprar AOL, como forma de ampliar seu inventário publicidade, e engolir o Yahoo! com uma só mordida.

Será que é hora de chamar o Super G novamente?

Comentários (4) Categorias: Google

Carta Aberta: Em defesa da liberdade e do progresso do conhecimento na Internet Brasileira

Por em 7 de julho de 2008 – 11:35

Esta semana está para ser votado no Senado Federal uma proposta do senador Eduardo Azeredo (PSDB-MG) que trata de uma forma diferente os crimes na Internet. Segundo a Folha Online, este novo projeto de lei que tramita no Senado pode levar à “criminalização em massa de usuários de internet que baixam e trocam arquivos (músicas, textos e vídeos) sem autorização do titular”. Até mesmo a liberdade do desbloqueio de celular poderia se transformar em crime.

Segundo Ronaldo Lemos, professor da FGV, ao se referir a “rede de computadores”, “dispositivos de comunicação” e “sistema informatizado”, o projeto engloba não só computadores mas reprodutores de MP3, aparelhos celulares, tocadores de DVD, sistemas de software e até conversores de TV digital, além de sites.

Segundo os autores da petição contra o novo projeto de lei, esta proposta coloca praticamente qualquer atividade na internet como crime, estabelecendo restrições ridículas e uma verdadeira ameaça a liberdade de expressão.

O Substitutivo do Senador Eduardo Azeredo quer bloquear o uso de redes P2P, quer liquidar com o avanço das redes de conexão abertas (Wi-Fi) e quer exigir que todos os provedores de acesso à Internet se tornem delatores de seus usuários, colocando cada um como provável criminoso. É o reino da suspeita, do medo e da quebra da neutralidade da rede. Caso o projeto Substitutivo do Senador Azeredo seja aprovado, milhares de internautas serão transformados, de um dia para outro, em criminosos. Dezenas de atividades criativas serão consideradas criminosas pelo artigo 285-B do projeto em questão. Esse projeto é uma séria ameaça à diversidade da rede, às possibilidades recombinantes, além de instaurar o medo e a vigilância.

Se, como diz o projeto de lei, é crime “obter ou transferir dado ou informação disponível em rede de computadores, dispositivo de comunicação ou sistema informatizado, sem autorização ou em desconformidade à autorização, do legítimo titular, quando exigida”, não podemos mais fazer nada na rede. O simples ato de acessar um site já seria um crime por “cópia sem pedir autorização” na memória “viva” (RAM) temporária do computador. Deveríamos considerar todos os browsers ilegais por criarem caches de páginas sem pedir autorização, e sem mesmo avisar aos mais comum dos usuários que eles estão copiando. Citar um trecho de uma matéria de um jornal ou outra publicação on-line em um blog, também seria crime. O projeto, se aprovado, colocaria a prática do “blogging” na ilegalidade, bem como as máquinas de busca, já que elas copiam trechos de sites e blogs sem pedir autorização de ninguém!

Participe agora mesmo da petição e defenda a nossa liberdade!

Google celebra aniversário de Marc Chagall

Por em 7 de julho de 2008 – 6:24

O Google está exibindo um doodle especial em comemoração ao aniversário de Marc Chagall, famoso pintor, ceramista e gravurista surrealista russo-francês nascido em 7 de julho de 1887.

De seu verdadeiro nome Moishe Zakharovich Shagalov (em bielorusso: Мойша Захаравіч Шагалаў; em russo: Мовшa Хацкелевич Шагалов), iniciou a sua formação artística quando entrou para o ateliê de um retratista famoso da sua cidade natal. Lá aprendeu não só as técnicas de pintura, como a gostar e a exprimir a arte. Ingressou, posteriormente, na Academia de Arte de São Petersburgo, de onde rumou para a próspera cidade-luz, Paris. Da Wikipédia.

Google, Microsoft e Yahoo! também fazem aparições nos cinemas

Por em 6 de julho de 2008 – 20:40

As gigantes Google, Microsoft e Yahoo! também fazem as suas aparições em filmes de vários tipos, como por exemplo em “Os Seus, os Meus e os Nossos”, “Inspetor Bugiganga”, “Lizzie McGuire – Um Sonho Popstar”  e “A Lenda do Tesouro Perdido: Livro dos Segredos”. Veja abaixo algumas destas cenas, retiradas de trechos do YouTube (o que explica a qualidade da imagem).

No filme “Os Seus, Os Meus e os Nossos”, o personagem Frank Beardsley (interpretado por Dennis Quaid) quer pesquisar informações sobre a sua ex-namorada, Helen North (interpretada por Rene Russo – não confundir com o Renê). Querendo encontrar o modo mais fácil, ele tenta o Google.

Ao ver o enorme número de resultados diferentes, ele diz ironicamente algo como “a internet facilita mesmo a vida da gente”.

Em “Inspetor Bugiganga”, quando o Dr. Garra (interpretado por Rupert Everett) está fugindo com seu comparsa do guarda de segurança John Brown (interpretado por Matthew Broderick) em uma perseguição de carro, ele perde o controle do veículo e bate na base de um outdoor escrito “Do You Yahoo!?”, que cai sobre eles. O interessante é que, quando o comparsa olha pra cima assustado e percebe que o outdoor está caindo, aquele jingle “Yahoooo!” é tocado.

No filme “Lizzie McGuire – Um Sonho Popstar”, Matt McGuire (interpretado por Jake Thomas) e Melina Bianco (interpretada por Carly Schroeder) buscam informações sobre Isabella Parichi (interpretada por Hilary Duff, que também interpreta Lizzie McGuire) em uma página do Yahoo! da Grécia. Na imagem abaixo o logotipo está cortado, mas no filme ele aparece na íntegra. Nesta cena também aparece um iBook, da Apple.

Em “A Lenda do Tesouro Perdido: Livro dos Segredos”, uma transmissão é assistida diretamente da página inicial do portal MSN.com. Se a Microsoft pagou por esta propaganda, ficou bem estranha, visto que um MacBook aparece alguns segundos antes da cena e a página está sendo exibida no Safari do Mac OS.

Um iPod Touch, vários celulares Motorola e BlackBerry também aparecem durante o filme. Recomendo ao Rafael Fischmann dar uma olhadinha no filme “Confissões de Uma Adolescente em Crise” – iBooks, principalmente no final do filme, é o que não falta. =)

O que é aquilo no canto do Gmail?

Por em 6 de julho de 2008 – 17:00

Já são dezenas de e-mails com perguntas relativas ao misterioso quadrado cinza que surgiu no canto esquerdo-superior do Gmail. Pelo que é possível analisar, quase todos os usuários de Firefox podem ver o misterioso quadrado tanto no Mac quanto no Windows, e em alguns casos, também é possível vê-lo com a utilização do navegador Safari.

Ao analisar o código do Gmail, existe uma combinação de três códigos iframes que poderiam estar afetando ambos os navegadores e “criando” esse pequeno defeito visual. Esses frames, segundo programadores web, armazenam um pequeno objeto flash que poderiam ser utilizados para funcionar como novas janelas de notificações de mensagens, e também um histórico de dados que permitem ao botão voltar(do navegador) de funcionar corretamente.

Segundo Michael Leggett(via FriendFeed), um dos designers de interface do Gmail, o problema é devido a um erro no CSS do Gmail que tornam os iframes invisíveis. Por que cargas d’água essa correção ainda não foi feita? Aguardamos uma resposta do Google.

Acompanhe a migração de animais pelo Google Earth

Por em 6 de julho de 2008 – 16:31

Google Earth está se transformando num grande recurso para que os cientistas possam visualizar e acompanhar fenômenos para estudos. Agora é possível analisar os padrões de migração de espécies ameaçadas e de outros animais ameaçados, com base em dados recolhidos pela Comissão para a Cooperação Ambiental.

Qualquer pessoa pode acessar os dados geográficos e ativa-los em uma camada sobre o Google Earth. Você também pode acompanhar tempestades, eclipses solares, vulcões em atividade, área onde o gelo ártico está derretido, gripe aviária e biomapas com níveis de stress emocional, em diferentes cidades.

Fonte: TechCrunch

Comentários (0) Categorias: Google

Imagem do Dia: A Fila pelo iPhone 3G

Por em 6 de julho de 2008 – 15:24

Segundo o blog Engadget, uma fila começa a se formar próxima a Apple Cube em Nova Iorque para a aquisição do mais novo iPhone 3G. O lançamento, no entanto, só irá ocorrer no próximo dia 11 de Julho.

Será que teremos filas aqui no Brasil também?

Comentários (4) Categorias: Google

Google China poderá lançar serviço gratuito de músicas

Por em 6 de julho de 2008 – 14:17

Google Music China logoA competição em torno da conquista do mercado de Internet na China tem sido muito difícil para os grandes buscadores ocidentais. E não era de se esperar nada diferente, a se julgar que se trata do maior mercado potencial do mundo e que cresce de forma exponencial.

O maior problema, no entanto, é que as regras lá na China são bastante diferentes do resto do mundo. Primeiramente, a severa censura chinesa, que tanto incomoda os ocidentais, mas que, infelizmente, não parece incomodar tanto os chineses, atrasou por demais o crescimento dos ocidentais, dando muitos corpos de vantagem para a Baidu. Em segundo lugar, a Baidu não parece se incomodar em jogar na China com as mesmas regras que os grandes buscadores fazem nos demais países do mundo. Isso se reflete muito claramente no mercado de músicas online. Ela atrai cerca de 7% de seu tráfego em buscas e downloads de músicas copiadas sem pagamento de direitos autorais e isto acaba por refletir muito fortemente em suas receitas em detrimento, principalmente de Google e Yahoo! e, em menor escala, de Microsoft.

Agora, surgem indícios de que a Google vai reagir a isto, ofertando downloads de músicas gratuitamente, mas com direitos autorais, mediante acordo com grandes gravadoras mundiais. Segundo o The Wall Street Journal, parece que a Google poderia estar fazendo acordos de divisão de receitas publicitária com Vivendi Universal, EMI, Sony BMG, Bertelsman e Warner Music, para distribuição gratuita de músicas na China. Se isto acontecer, a Google começará a disputar fortemente com a Baidu, podendo ganhar terreno.

Se considerarmos que a Baidu, no final de 2007, era a lider do mercado com 60,1% e a Google, vinha logo em seguida com 25,9%, segundo o TWSJ, com certeza o caminho da Google será longo e difícil.

No entanto, o mercado chinês está em constante mutação, porque em crescimento constante. Além do mais, devemos considerar que a chegada legal do iPhone no próximo dia 12/07/2008 e a futura chegada dos telefones móveis com tecnologia Android poderão mudar totalmente a guerra em favor da Google, porque darão a ela duas plataformas móveis de grande relevância, para as quais está muito mais preparada que a Baidu, e que deverão verdadeiramente invadir a China, um pais ainda relativamente pouco conectado por meio de computadores pessoais, onde, portanto, os smartphones terão uma importância muito grande no mercado de buscas.

Enquanto isto, vejamos se a história do Google Music é verdadeira. Caso se torne realidade na China, poderá se tornar modelo também em outros países. Brasil, por exemplo.

Fontes e imagem::
The Wall Street Journal
Google Blogoscoped

Comentários (0) Categorias: Google