Caso Samsung-Apple não está relacionado ao núcleo do Android, diz Google

Por em 27 de agosto de 2012 – 21:38

Na última sexta-feira, 24, a Samsung foi condenada a pagar mais de US$ 1 bilhão à Apple após um júri dos Estados Unidos considerar que a fabricante sul-coreana teria infringido patentes do iPhone e iPad.

Por ser um caso ligado a alguns dispositivos equipados com a plataforma Android, o Google foi procurado pelo blog The Next Web para uma declaração. Na noite do último domingo, a gigante de Mountain View emitiu uma nota que isenta o Android da briga entre Samsung-Apple.

“A corte de apelações irá rever tanto infracção e quando a validade das reivindicações de patentes. A maioria destes não relacionam com o núcleo do sistema operacional Android e vários estão sendo re-examinados pelo Escritório de Patentes dos EUA. A indústria móvel está se movendo rápido e todos os jogadores – incluindo os recém-chegados – está construindo em cima de idéias que já existem há décadas. Trabalhamos com nossos parceiros para oferecer aos consumidores produtos inovadores e acessíveis, e nós não queremos que nada limite isso”, disse um porta-voz.

Para muitos da imprensa mundial, o caso poderá ser benéfico para o Android. De acordo com o The Verge, a versão pura, no qual é disponibilizada aos fabricantes e embarcada na linha Nexus, tem seus elementos estudados para evitar as patentes da Apple. Seria este o fim das interfaces proprietárias?

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...


2 comentários sobre “Caso Samsung-Apple não está relacionado ao núcleo do Android, diz Google”

  1. Dat Lopes disse:

    “Seria este o fim das interfaces proprietárias?” Eu pessoalmente prefiro o android puro.

  2. llslucas disse:

    Renê, acabei de ler um ótimo artigo (de opinião) no InformationWeek que questiona a vitória da Apple com uma defesa bem inteligente. Em resumo defende que a App
    ple estaria explorando a fragilidade um sistema de patentes defasado ou “quebrado”.
    Gostaria muito de ver um artigo aqii no Google Discovery seguindo essa mesma linha de raciocínio, ou traduzindo e referenciando o texto original. Da uma lida! http://mobile.informationweek.com/80269/show/3a4a902bdc46357fb630d1098263a2fd/?